Com esse calorão danado o que as crianças mais querem é ficar na piscina, porém não podemos nos descuidar nenhum minutinho… por isso separamos alguns tipos de bóia para você escolher para proteger o seu pequeno.

Boia colete – A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) orienta que crianças com menos de quatro anos usem bóias no formato colete, pois elas ainda não conseguem retirá-las sozinhas (ao contrário das bóias de braço). Esse modelo de bóia pode ser inflável ou de neoprene.

Os professores de natação não indicam este tipo de bóia, pois ele “sobe”, incomoda a criança e apresenta o risco da mesma tombar para frente e se afogar.

colete

Boia de “sentar”–  Apesar de ser diferente do modelo colete, que a SBP indica, é parecido no sentido da criança não conseguir sair de dentro dela sozinha, isso acontece até uma certa idade. Pode ser usado a partir do momento que o bebê estiver mais “durinho”, em torno dos 5-6 meses e continuar usando até a idade que a bóia continuar confortável (sem apertar as pernas) e segura para o bebê (até o momento em que ele não conseguir sair sozinho dela).

Eu utilizei esse modelo no Benício, mas é importante tomar cuidado, pois os bebês podem virar a cabeça para baixo e se afogar.

boia de sentar 3

Bóia tipo “maiô” – Em inglês, é conhecida por Acqua Trainer, Swin Trainer ouTube Trainer e consiste em uma bóia redonda presa a uma roupa de banho, como se fosse um maiô com um anexo igual ao da foto.

boia tipo maio

Boia de braço – Segundo a SBP esse é o tipo de bóia que só deve ser usado isoladamente a partir dos 4 anos de idade, visto que é a partir desta idade que a criança já consegue retirar a bóia com certa facilidade, ou isso pode acontecer quando a mesma é colocada de forma inadequada e sai por não ficar firme suficiente. O ponto positivo desse modelo, é que ele dá mais liberdade para criança brincar e se divertir (mais um motivo dela ser reservado para as crianças maiores).

boia de braco 2

Mesmo que seu filho esteja usando uma bóia adequada e segura, jamais o deixe sozinho dentro da água. Esteja sempre junto. As crianças têm cabeça e membros superiores mais pesados que as pernas e isso faz com que eles virem de cabeça para baixo com certa facilidade. Ou seja, mesmo de bóia, algum responsável deve estar sempre próximo à criança.