O tempo passa… Aproveitem!

Olhem seus filhos, porque o rostinho deles está sempre em constante mudança. Aquele bebê, tão miúdo, cadê?

Tinha cara de joelho, depois tinha bochechinhas e, quando vamos ver, estão cheios de espinhas… Não fechem os olhos, aproveitem, deem de mamar como se fosse a última vez, porque o amanhã é sempre um dia incerto e o dia do desmame chega a cavalo… Mesmo para aquelas que insistem em amamentar por muito tempo. Ele também passa, o tempo não perdoa… Usem seus olhos como uma câmera de filmar, muito desse filme só você vai registrar. Seu bebê não vai lembrar, seu marido estava trabalhando, mas você estava lá. É seu tempo, sua vez, seu tesouro.

Um dia, bem velhinha, você vai contabilizar que nem mesmo todo carinho do mundo foi suficiente, porque você daria seus últimos segundos pra voltar ao dia em que ele chegou nos seus braços, que você sabia que só você tinha a solução, e a solução – pasmem – era você mesma!

Pois você reunia o alimento, o aconchego… E que aquela carinha dele, dormindo no seu colo, aninhado… Era tudo nessa vida.
Aproveitem.”

Autor desconhecido.