Basta avisarmos que estamos grávidas para sermos bombardeadas com certas crenças não é mesmo? Por isso fizemos o post de hoje sobre os mitos e verdades da gravidez, vejam:

Se o teste de gravidez de farmácia der positivo, a mulher poderá ter certeza de que está grávida.

Mito: Muitos testes de farmácia que usam a urina da mulher para detectar a gravidez são até confiáveis, mas certeza mesmo ela só terá com a dosagem do hormônio betaganodrofina coriônica humana (β-HCG) no sangue.

Esse hormônio está presente no sangue de todas as gestantes, desde a implantação do embrião dentro do útero, sendo identificado bem no início, entre uma semana e dez dias após a fecundação.

Se a gestante ficar sem comer por muito tempo, seus enjôos podem piorar.

Verdade: Gestantes não devem ficar muito tempo sem comer por dois motivos: primeiro, porque o estômago vazio secreta muito ácido, o que aumenta os enjôos e a azia; segundo, porque a grávida corre o risco de sofrer também uma crise de hipoglicemia, que pode levá-la a sentir tonturas, ter calafrios e suar intensamente e até prejudicar o bebê.

A hipoglicemia frequente pode levar a grávida a desenvolver diabetes gestacional.

Toda gestante sente náuseas.

Mito: Apesar dos enjôos serem muito comuns na gravidez, especialmente durante o primeiro trimestre, nem toda mulher apresenta esses sintomas. Isso varia muito de corpo para corpo, por isso, se você sentir enjôos procure um médico para ter certeza de que está tudo bem!

Chupar limão ajuda a combater as náuseas das gestantes.

Verdade: Durante a gravidez, a mulher tem o que é chamado de perversão alimentar. Pode ser que ela passe a não suportar mais alimentos que adorava antes de engravidar.Tudo isso por causa das alterações hormonais e a maior sensibilidade das papilas gustativas e olfativas.

A saliva da grávida pede alimentos mais cítricos e temperos mais fortes, por isso o limão é bem visto e ajuda a combater a sensação de náusea.

É comum as gengivas das gestantes sangrarem durante a gravidez.

Verdade: Isso acontece por causa do aumento principalmente da progesterona, durante a gestação. As gengivas da gestante podem ficar um pouco mais inchadas e sensíveis, o que pode ocasionar o sangramento durante a escovação. Se ela tiver qualquer dúvida quanto a esse fenômeno, deve comunicá-lo ao seu dentista e ao seu obstetra.

Grávidas podem apresentar alterações na visão.

Verdade: As alterações ocorrem por causa da variação hormonal, típicas da gestação. As mais comuns são o desconforto ao usar lentes de contato, aumento do grau, olhos secos, edema das pálpebras e maior sensibilidade à luz. Todas são temporárias e devem desaparecer depois do fim da gestação.

Sempre que possível, a gestante deve deitar-se sobre o lado esquerdo para dormir, e não do lado direito.

Verdade: Sempre que se deita sobre o lado direito do corpo, a veia cava é comprimida. Isso faz a pessoa sentir mal-estar e elevar a pressão arterial, o que, no caso de uma gestante, além de ser de ser desconfortável, pode ser prejudicial. Se a mulher ficar hipertensa na gestação, o benefício de se deitar sobre o lado esquerdo será ainda maior.

Gestantes não devem ingerir alimentos com pimenta.

Mito: Algumas pessoas dizem que, por ser muito forte, a pimenta pode ser abortiva ou causar algum tipo de malformação do bebê. Embora isso não seja verdadeiro, sabemos que a ingestão de pimenta pode dificultar significativamente a digestão, então é bom maneirar o consumo.

Grávidas não devem comer ovos.

Mito: Não há nada que comprove que o ovo cause algum mal à gestante ou ao bebê. É bom somente se certificar de que o alimento é fresco e de boa procedência, para evitar diarréia ou infecção intestinal.

Comer chocolate antes da ultra-sonografia ajuda a ver o sexo do bebê durante o exame.

Mito: Não há evidências de que seja mais fácil ver ou não o sexo do bebê durante o exame ultrassonográfico se a gestante comer chocolate especificamente. Porém, se a grávida comer, principalmente algum alimento doce, momentos antes de realizar o exame, o bebê terá uma maior movimentação dentro do útero, e isso fornecerá sua visualização e a identificação do sexo.

Comer bolacha água e sal alivia o mal-estar e a salivação.

Verdade. A sensação de mal-estar pode melhorar ao ingerir alimentos leves, como frutas e alimentos com pouca gordura, como é o caso das bolachas de água e sal.

O formato da barriga diz qual é o sexo da criança. 

Mito: O formato da barriga depende do tamanho do bebê, da posição que ele se encontra dentro do útero, da quantidade de líquido amniótico, do número de bebês, do tamanho e formato da bacia óssea da mulher, e do formato prévio da silhueta corporal da gestante.

Os batimentos cardíacos do bebê aceleram quando a mãe fuma. 

Verdade: Após a mãe fumar, a nicotina passa para o bebê, o coração desse acelera e tende a se movimentar menos. O fumo na gestação está associado a abortamentos, malformações fetais, menor peso ao nascimento e mais partos prematuros.

A mulher deve tomar bastante cerveja escura para ter mais leite. 

Mito: Havia na Inglaterra, antes da Segunda Guerra Mundial, um tipo de cerveja chamada Stout, na qual era adicionada lactose, o açúcar do leite, a “milk stout”. Por esse motivo surgiu o mito, porém não tem fundamento nenhum.

Não se pode tomar nada diet durante a gravidez.

Meio mito, meio verdade: Alguns estudos mostraram que uso de adoçantes pode estar associados a malformações nos bebês, mas ainda não há pesquisas suficientes para poder proibir o uso. É de bom senso evitar alimento diet, se possível.

Pele de grávida mancha se ficar exposta ao sol. 

Verdade: Pode manchar mais que o normal, pois as alterações hormonais associadas à gestação favorecem o aparecimento de manchas.

Durante a gestação o cabelo da volta ao estado natural independente de qualquer tratamento que a mulher tenha feito. 

Mito: O que acontece é que alguns tratamentos capilares não podem ser feitos na gestação, assim as mulheres tendem a apresentar o estado natural do cabelo.

Durante a amamentação não há risco de engravidar. 

Mito: Geralmente esse efeito acontece apenas nos três primeiros meses após o parto e se a alimentação do bebê for por amamentação exclusiva, mesmo assim não há garantias de que a mulher não engravide um mês após o parto. O mais recomendado é que a gestante converse com seu obstetra para associar algum anticoncepcional.

Fontes:

http://www.paisefilhos.com.br/gravidez/10-mitos-e-verdades-sobre-a-gravidez-que-voce-nao-sabia/

http://entretenimento.band.uol.com.br/noticia/?id=100000426537