Olá mamães, temos ouvido falar muito de microcefalia, devido ao grande aumento de casos em todo o Brasil, principalmente na região nordeste.

Um caso que preocupa a todos nós, em especial as gestantes e tentantes, por isso resolvemos fazer esse post para esclarecer algumas dúvidas.

Microcefalia é quando o cérebro do bebê cresce menos do que deveria, fazendo com que a cabeça tenha um tamanho menor que o normal (31,9 cm para os meninos e 31,5 cm para as meninas).

Ela pode ser diagnosticada durante o pré-natal, através de ultrassom e confirmada após o nascimento, pelo acompanhamento de crescimento da cabeça.

microcefalia

É uma doença grave, que não tem cura e a criança que a possui pode precisar de cuidados por toda a vida. Geralmente a criança precisa de acompanhamento de um fisioterapeuta para se desenvolver melhor, prevenindo complicações respiratórias e até mesmo que fique em uma cadeira de rodas.

As crianças com microcefalia podem ter graves consequências como:

  • Dificuldades para se movimentar;
  • Falar;
  • Ouvir;
  • Raciocinar;
  • Paralisia;
  • Convulsões;
  • Epilepsia;
  • Autismo;
  • Rigidez dos músculos.

Essas alterações acontecem porque o cérebro precisa de espaço para que possa se desenvolver e como o crânio não permite o crescimento do cérebro, suas funções ficam comprometidas, afetando todo o corpo.

Causas:

  • Infecções como rubéola, citomegalovírus e toxoplasmose;
  • Zika durante a gravidez, especialmente no primeiro trimestre de gestação;
  • Consumo de cigarro, álcool ou drogas como cocaína e heroína durante a gravidez;
  • Síndrome de Rett;
  • Envenenamento por mercúrio ou cobre;
  • Meningite;
  • Desnutrição;
  • HIV materno;
  • Doenças metabólicas na mãe como fenilcetonúria;
  • Exposição à radiação durante a gestação;
  • Uso de medicamentos contra epilepsia, hepatite ou câncer, nos primeiros 3 meses de gravidez.

Se você está grávida ou pretende engravidar é importante ter um cuidado redobrado.

Espero ter ajudado vocês!!

Bjs